domingo, 31 de outubro de 2010

Declaração universal dos Direitos Cristãos. Rom.8.1-39





I – LIBERDADE. (não há condenação). V.1-4

Liberdade: O véu do templo se rasgou.
Você não está senso salvo! Você foi salvo. Todo crente em Cristo está livre da condenação.
Em Adão, fomos condenados, Mas em cristo fomos absolvidos.


Ninguém pode ser julgado duas vezes pelo mesmo crime. Jesus se vez maldição por nós morrendo na cruz.
A lei não nós controla mais. O Espírito Santo opera em nós sua obra santificadora.

II – NÃO HÁ LEI. V.5-8

Não temos mais responsabilidades com a nossa velha natureza. O contraste entre a velha e a nova natureza.

Carne x Espírito

Carne: O ímpio não possui o Espírito santo por isso vive na Carne. Espírito: o crente vive uma esfera nova e diferente, buscando as coisas que são do alto.

Morte x Vida.

Morte: O ímpio está morto em seus pecados. Vida: O Crente possui o Espírito que vivifica.

Guerra com X Paz com Deus.

A nossa velha natureza milita contra Deus. Os Crentes desfrutam de paz com Deus.

Agradar a si mesmo X agradar a Deus.

Estar na carne significa satisfazer a si mesmo.

III – MORADIA ETERNA DO ALTÍSSIMO.V.9-17

Como morada de Deus: 1- Somos propriedade exclusiva do Pai; 2- O Espírito Santo habita em nós; 3 - O Espírito Santo testifica que somos filhos de Deus.
Como morada passamos a fazer parte da família de Deus. Jo.1.12; na adoção nos tornamos emancipados não precisamos mais da lei como AIO, e somos co-herdeiro de Cristo.Gal.4.5; Rom.8.17

É através da presença do Espírito que compartilhamos de uma vida abundante.

IV – DIREITO A FELICIDADE. V.18-30

O crente não olha para as tribulações. Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. 2ªco.4.16

2ªCo.4.16-18 - Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.

1ªCo.2.9 - Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.

V –DIREITO A SEGURANÇA. V.31-39

1- Deus é por nós; 2- Por que Ele nos enviou seu filho para morrer em nosso lugar; 3- ele nos justificou; 4- Temos um advogado que intercede por nós; 5- Cristo nos ama.

CONCLUSÃO:

Rom.11. 33-36 (Doxologia) Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!



quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O FILHO PRÓDIGO. Lc.15.11-32







I - QUATRO PASSOS PARA A DECADÊNCIA ESPIRITUAL.

11-E disse: Um certo homem tinha dois filhos;
12-E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda.
1º Passo Obstinação: intolerante.

A casa do Pai, A parábola começa mostrando que na Casa do Pai, a nossa morada espiritual precisa viver em harmonia. O Filho criado na casa do Pai é semelhante a ele. A tendência evolutiva normal do filho é crescer e se identificar com este Pai.

13-E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
2º Passo: Egoismo; 3º Passo: Separação Espiritual , resultado o esquecimento de seu Criador.

14-E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades.
4º Passo : Destruição Espiritual. Jo.10.10

15-E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos.
À margem de Deus, por entregar-se a seus próprios recursos, foi submetido à servidão e lhe tocou o ofício de apascentar porcos, o que significa a servidão mais extrema e imunda que costuma alegrar os demônios.

II – RESULTADO DE UMA VIDA LONGE DE DEUS.

16-E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. 1º Passo: Humilhação; 2º Passo: Necessidades Espirituais, sua fome não era apenas física.

III – RECONHEÇA SUA CITUAÇÃO.

17-E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 1º Passo: Caia em si

18-Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; 2º Passo: tome uma Decisão

19-Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. 3ºPasso: Se arrependa

20.1-E, levantando-se, foi para seu pai; 4º Passo: saia da imércia.
Deus não resiste a um coração contrito e quebrantado. Sl.51.17

IV – DEUS ESTÁ DE BRAÇOS ABERTOS ESPERANDO POR VOCÊ.

20.2- e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
2ªCo.5.19 A saber, que Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo...

21-E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
22-Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés;
Deus não tem nada levado da breca pra ninguém.

Melhor Roupa - Significa: justificação, algo de acontece fora de nós, diante de Deus. Operando a regeneração, que é no nosso interior.

Anel(Governo): Posição Espiritual Restaurada.
Sandálias(libertação): O escravo anda descalço. O livre tem nos seus pés as sandálias da preparação do Evangelho. Sl.119.105

23-E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos;
Bezerro Cevado - fala do desejo do pai pela volta do filho. 1ª Tm.2.4 Paulo lembra a Timóteo que “a vontade de Deus é que todos os homens sejam salvos”.

24-Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se.
A parábola do Filho Pródigo nos ensina uma nova imagem de Deus. Foi através da reconciliação de Cristo na Cruz que podemos chamar Deus de Pai, O Nosso Deus é um pai amoroso; que disciplina, mas ama o perdoar.

V – CRENTES VELHOS, PEDRA DE TROPEÇO.

25-E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças.
26-E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo.
27-E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.
Ser filho de Deus implica em saber ser irmão.

28-Mas ele se indignou, e não queria entrar. E saindo o pai, instava com ele.
29-Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos;
Igreja! Não há serviço cristão sem comunhão. Não há galardão para aqueles que trabalham na obra de Deus, mas não trabalham para o Deus da obra.

30-Vindo, porém, este teu filho,(quer dizer que não era mais seu irmão) que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.
O Crente velho não sente a falta do irmão na hora do partir do pão.

31-E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas; 32-Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.

CONCLUSÃO:

No capítulo 15 de lucas, nos encontramos na figura da ovelha perdida o anelo de Cristo pelo pecador distante. Na história da moeda perdida encontramos o Espirito Santo buscando o perdido para usá-lo. E, na do filho pródigo Deus almeja ter comunhão com seus filhos. Tanto com aqueles que estão dentro de sua casa como aqueles que ainda estão distantes.



quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A Sunamita. 2º Rs.4.8-37






UMA MULHER A FRENTE DO SEU TEMPO.


Muito se fala hoje do papel da mulher, na sociedade, na família e no trabalho. Porém a sua primeira atribuição dada por Deus é “do lar”. Sabe por que muitas mulheres não conseguem desenvolver e conciliar seus papeis sociais, o de ser esposa, e o der ser mãe, e até o de ser uma profissional? Porque não o buscam em Deus! Você é a responsável pela harmonia “felicidade” em sua casa, e pela paz com a vizinhança. Você possui habilidades (discernimento no campo das emoções) que são fundamentais para sua família, sociedade e igreja, além saber conciliar como ninguém as responsabilidades domésticas e com seu trabalho. Em outras palavras, Deus está nos dizendo que a mulher precisa desenvolver qualidades, das quais, depende o bom sucesso do seu lar. Não haverá um lar doce e feliz sem uma mulher sábia (Pv.14.1). Para confirmar o que estamos dizendo estudaremos a vida da sunamita, mulher esta que possui características fundamentais à mulher cristã aprovada por Deus.

a) UMA DISPOSIÇÃO PARA SERVIR
Sendo uma mulher rica, esta serva do Senhor dispunha-se a hospedar o profeta Eliseu em sua casa, gentilmente. Bondade, benevolência e hospitalidade são qualidades inerentes às servas de Cristo. Seu desejo de servir era tão acentuado que chegou a prover um quarto exclusivo ao profeta (v. 10). Assim nos acostumamos a ver as mulheres cristãs cooperando com o ministério do Senhor Jesus.

b) A SABEDORIA NO DISCERNIMENTO
Aquela mulher foi quem alertou seu marido. Ela teve olhos para notar que Eliseu não era uma pessoa comum; observando-o reconheceu a presença do Espírito de Deus sobre ele. Igualmente, a mulher cristã precisa ser sábia em observar e discernir a verdade e a vontade de Deus.


c) CONTENTAMENTO “Realizada”.
Eliseu queria recompensar a Sunamita, porém, esta nada quis lhe pedir! Embora nenhum filho tivesse, recusou perdir-lhe alguma coisa. Da mesma forma a Palavra nos aconselha a fugir da ambição: “Seja a vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes...” (Hebreus 13:5) A mulher sábia atrai as bênçãos do Senhor para seu lar! Deus não é injusto a ponto de se esquecer do vosso trabalho. Os lares mais felizes e abençoados são aqueles onde a mulher edifica um espírito de contentamento e gratidão, pois, mesmo as bênçãos não pedidas e inesperadas chegam como recompensa do temor ao Senhor.


d) CONFIANÇA EM DEUS A mulher sábia tem a confiança da sua família. Como é bom ter alguém com quem podemos contar sempre. Veja o desespero desse velho homem quando seu filho ficou doente. Que poderia ele fazer com as dores do seu filho? Mas ele tem uma auxiliadora, e sabe que pode contar com ela. Sua ordem ao servo expressa isso: !Leva-o a sua mãe. E ele o tomou e o levou a sua mãe; e esteve sobre os seus joelhos...". O filho precisa de um colo e o marido de um ombro. Você mulher de Deus és um amortecedor dos impactos. Sua família precisa de você.

e) NÃO ERA AGITADA. A mulher louca é alvoroçadora; é néscia e não sabe coisa alguma. (Pv 9:13).


A sunamita era jovem, provavelmente bonita, e, sendo casada com um homem bem mais velho, estava impossibilitada de ter filhos. Para uma mulher daquele tempo isso era um sinal muito triste. Ela poderia viver aborrecida. Ela está satisfeita. Para ela o simples fato de viver entre as pessoas que a amava e a respeita já era motivo de ser feliz. Seria bom se todos tivessem consciência de quando estão realmente bem. O coração contente não precisa de muito para sentir-se feliz e em paz. O comportamento de mulheres assim nos dias de angústia faz da casa um verdadeiro campo de guerra. Sua agitação e gritaria causa tamanha confusão no lar. Mas a mulher Sunamita é sábia, e seu comportamento no dia da adversidade mostra uma calma impressionante que é fruto da fé verdadeira. Nenhuma palavra louca saiu de seus lábios. Imediatamente ela pensou em Deus, e foi logo falar com aquele que o representava. Do marido pede apenas algumas providências materiais. De fato, quando a mulher tem seu coração confiado em Deus o lar goza calma. Sim, tudo o que Deus faz é bom!

f) CONFIE SEUS FILHOS SOMENTE A DEUS.

Enquanto a maioria das pessoas de seu tempo consultaria os ídolos (I Re 1:2) a Sunamita vai diretamente a Deus. É fato muitas são as mães que levam para sua casa a idolatria, e para o espiritismo. A Sunamita tem consciência de que somente Deus pode ajuda-la. Tinha total confiança na bondade de Deus, que estava pronta para crer que Ele restauraria o que havia agora retirado. Finalmente o filho amado foi restaurado vivo à sua mãe. Colocar um filho nas mãos de Deus e te-lo eternamente. Que o esforço maior de uma mãe seja o de por seus filhos nas mãos do Senhor.

Aplicação pessoal:
Devemos procurar agir como a sunamita: buscar paz e descanso em Deus, sabendo que Ele é Fiel para fazer muito mais do que pensamos. Aprender a identificar “discernir” as pessoas que Ele mesmo quer usar para abençoar nossas vidas e ter humildade para entender que precisamos do próximo. Desenvolver a FÉ, para conquistar milagres.

Coragem e persistência são atributos de Deus!

domingo, 24 de outubro de 2010

Amaleque Peleja Contra Israel.Êx.17.8-16


Quem representa hoje Amalaque e Israel? Quem são estes dois povos e porque esta batalha ainda continua e vai continuar até a volta de Jesus?


Amaleque Significa: “Povo que lambe/povo que suga”


Quem eram/são: Os amalequistas sempre foram opressores de Israel.


Israel significa: “Que reina com Deus” Quem eram/são: A igreja de Jesus é o Israel de Deus.

Relação entre Vale X Monte

I – No Vale

Lá em baixo estavam Amalaque (que representa satanás) e Israel (que representa a igreja de Deus) lutando.

a) No vale eu posso elevar meus olhos a Deus.Sl.121
b) No vale se conquistam grandes vitórias. Davi e Golias.1ºSm.17

II – No Monte

Lá em cima do cume (que representa nos lugares celestiais) estavam Moisés, Arão e Hur.


a) Do alto tudo é pequeno, inclusive os problemas.
b) O alto é a habitação de Deus, e que está no alto esta seguro.
c) Quem coloca o crente em lugares altos é o Senhor.

V.11 - E acontecia que quando Moisés levantava suas mãos, Israel prevalecia, mas quando as abaixava, perdia, pois as mãos de Moisés eram pesadas.

V.12 - Então Arão e Hur colocaram uma pedra debaixo dele para que ele assenta-se e seguraram suas mãos firme até o por do sol. V.13 - Assim Josué venceu Amaleque a fio de espada!


Antes da graça de Jesus, tudo era feito na luta armada, na briga, na espada, no derramamento de sangue.

Mas hoje contra o que lutamos e como devemos lutar?

Ef. 6.10-19. No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho.


1 - Moisés no cume do monte representa. Lutas nos lugares celestiais.


Col.2.15 E foi na cruz que Cristo se livrou do poder dos governos e das autoridades espirituais. Ele humilhou esses poderes publicamente, levando-os prisioneiros no seu desfile de vitória. NTLH

2ªCo.10.3-4 Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas.

Ef. 6.12 - Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

2 - Não podemos lutar sozinhos.


Is.35.4 Digam aos desanimados: “Não tenham medo; animem-se, pois o nosso Deus está aqui. Ele vem para nos salvar, ele vem para castigar os nossos inimigos”.

Is.41.6 Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te.

3 - Mãos erguidas representam rendição (dependência de Deus).


Foi no deserto onde Deus mais manifestou sua Glória.

4 - Vara na mão representa a Palavra de Deus.


Sl. 119.11,97,105. Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. 97 Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia. 105 Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.

5 - Jesus é a nossa Rocha de Descanso


Mt.16.18 “e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Sl.31.3 Sim, tu és a minha rocha e a minha fortaleza. Sl.61.2-3 põe-me à salvo na rocha mais alta do que eu. Pois tu tens sido o meu refúgio, uma torre forte contra o inimigo.

6 - Hur não é mais mencionado na Bíblia, Hur representa a ajuda divina.

1ºSm.7.12 Então Samuel pegou uma pedra e a ergueu entre Mispá e Sem; e deu-lhe o nome de Ebenézer, dizendo: "Até aqui o Senhor nos ajudou".

Conclusão:


Em Cristo já somos mais que vencedores. Em Cristo temos a certeza de nossa morada nos céus. Jesus já derrotou o diabo na Cruz. (Col.1:13) - "Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor,". O cristão que conhece sua posição em Cristo Jesus sabe que o diabo não tem mais poder sobre ele, sabe também que não pode atribuir a ele os acontecimentos negativos ou fracassos da vida, porque é nascido de Deus. (1ª Jo. 5:18) - "Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca."

sábado, 23 de outubro de 2010

Globalização: Reconstruindo a Torre de Babel

A Verdade - A real condição humana Parte 15 from AgnusBade on Vimeo.

O Gadareno. Mc.5.1-20


Deus quer mudar sua vida, e o rumo da sua História.


Na narrativa de Marcos do Cap. 4 ao cap. 5, Nós encontramos Jesus triunfando sobre; a) A tempestade; b) Os demônios; c) A morte (A filha de Jairo); d) A enfermidade (A mulher do fluxo de sangue).

A vida cristã é comparada a um barco que navega. Eu e você não temos poder sobre o vento, mas podemos levantar nossas velas e escolher que rumo tomar.

I – Jesus não nos prometeu uma viajem sem luta. Mas, sim a segurança de que vamos chegar do outro lado.

II – Creia que Jesus é o Deus Emanuel “Conosco está”.

III – Aprenda a confiar em Deus. A Fé nos ensina a descansar na tribulação. Jesus dormia na tempestade, Jonas dormia no ventre do peixe. Jn.1.5, Pedro dormia na cadeia. At.12.6

Sabe por que muitas pessoas naufragam? Não sabem que rumo tomar
Sabe o que você precisa fazer em uma tempestade? Você precisa jogar o excesso de bagagem fora.

Igreja tem gente no nosso meio passando por lutas, por provas, o barco tá quase indo a pique. E a pessoa não abre mão dos excessos.

Igreja! Esta tempestade não é para te levar a pique não. É pra mudar o rumo da sua vida!
Talvez você esteja se perguntando o que esta história tem haver com família .

Jesus atravessou o mar para mudar a história daquele homem.

Jesus viu naquele homem. O que ninguém mais viu. (Potencial)
Capacidade de produzir, realizar, agir.
Argumento histórico:
(a) Este homem morava na região de Decápolis, uma liga de dez centros urbanos de cultura grega, estas cidades eram centros comerciais e financeiros de destaque que conviviam com a exuberante arte grega e seus filósofos.
(b) Esse homem morava em uma cidade com grande potencial turístico. Proporcionando uma esplêndidas vista sobre a zona norte do Vale do Jordão, o Mar de Galiléia e as colinas de Golán.
(c) O homem de Gadara, em seu tempo, era como qualquer cidadão de um grande centro urbano de nossos dias.

V.15 Chegando-se a Jesus, viram o endemoninhado, o que tivera a legião, sentado, vestido, e em perfeito juízo.

I - Quem encontra Jesus vive uma vida equilibrada.
Equilíbrio é a justa medida entre o mais e o menos.
II - Quem encontra Jesus, troca o farrapo de vestido, por vestes novas.
III – Quem encontra Jesus, deixa de ficar correndo de um lado para o outro. Mas, se assenta para ouvir suas palavras.

Verdade espiritual. Quem vive correndo no meio da igreja na hora da Palavra vive uma vida atribulada.

V.18 – E insistia com ele o que fora endemoniado.

V.19 - Jesus, porém, não lho permitiu, mas disse-lhe: Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes o quanto o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti.
Não há melhor lugar para se praticar o evangelho do que no nosso lar.

V.20 - Logo, começou a anunciar em Decápolis, tudo quanto lhe fizera Jesus; e todos se admiravam.
Aquele homem se transformou em um missionário. Primeiro em sua casa, depois em seu bairro.

Verdade pratica desta relação homem x porco.

I - Para o diabo um homem e um porco são as mesmas coisas.

II – Assim como um porco tem seu prazer na lama, assim é o homem sem Jesus. Vive se deliciando no pecado.

Olhe por seu irmão e diga: joga fora o que não presta. Joga o lixo no lixo.

Não se engane todos nós temos áreas na vida que precisam ser mudadas.
Nossa vida, casa e família precisa de uma verdadeira faxina espiritual. Mt.12.43-45 (confesse em qual área você e mais fraco e peça perdão).

Igreja! Posso ser ministro do evangelho.
Posso ter (ministério) Cargo, função, ofício, ato de saber sevir, posso saber pregar e ensinar.
Porém pregar, cantar e ensinar não é ministério de ninguém! É (vocação).
Vocação é um dom que recebemos de Deus para realizarmos bem nosso chamado.
Meu ministério é amar minha esposa e minha filha.
Primeiro do que a igreja, vem minha casa.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Combatendo Toda Forma de Idolatria. Josué.7






A igreja é o arraial de Deus. Onde Deus ainda anda! Não se engane, todo pecado é um pecado contra a igreja.

a - A COBIÇA É UMA FORMA DE IDOLATRIA. Col.3.5

I. ACÃ ERA UM HOMEM DESOBEDIENTE. (Desobediência consiste em se apegar naquilo que Deus condenou). “Tão somente guardai-vos das coisas condenadas, para que, tendo-as vós condenado, não as tomeis; e assim torneis maldito o arraial de Israel e o confundais”. Jz.6.18

II. A DESOBEDIÊNCIA INDIVIDUAL PODE SE TRANSFORMAR NUM PECADO COLETIVO.
Quando se fala em Israel estamos diante da unidade social e espiritual de um povo. Quando se fala da igreja estamos diante de uma unidade comunitária e espiritual daqueles que creram em Cristo.

III. A DESOBEDIÊNCIA AFASTA A PRESENÇA ABENÇOADORA DE DEUS.
Durante a investida contra a cidade de Ai a Arca estava no acampamento, porém a presença abençoadora de Deus, não. O Senhor mesmo disse: “Já não serei convosco” (v.12). A desobediência afasta, repele a presença de Deus da vivência comunitária da fé. Diante desse quadro podemos estipular o porquê da derrota na vida de muitos.

IV. A DESOBEDIÊNCIA LEVA À DERROTA DIANTE DO INIMIGO.
As lutas de Israel se davam em dois planos: o plano físico e o espiritual. Com o cristão também é assim. Nós corremos e lutamos para que as coisas avancem em nossa vida, mas se Deus não nos der a vitória espiritual, nosso avanço jamais será pleno.

b - DEUS NÃO TOLERARÁ NENHUMA FORMA DE IDOLATRIA.

1) Ele advertia frequentemente contra ela no Antigo Testamento. Nos dez mandamentos, os dois primeiros mandamentos são contrários diretamente à adoração a qualquer deus que não seja o Senhor Deus de Israel (ver Êx 20.3,4).

2) O Novo Testamento também adverte todos os crentes contra a idolatria.

3) A idolatria manifesta-se de várias formas hoje em dia. Aparece abertamente nas falsas religiões mundiais, bem como na feitiçaria, no satanismo e noutras formas de ocultismo. A idolatria está presente sempre que as pessoas dão lugar à cobiça e ao materialismo, ao invés de confiarem em Deus somente. Finalmente, ela ocorre dentro da igreja, quando seus membros acreditam que, a um só tempo, poderão servir a Deus, desfrutar da experiência da salvação e as bênçãos divinas, e também participar das práticas imorais e ímpias do mundo.

A três tipos de idolatria e todas mencionadas na Bíblia:
1ª. Idolatria por pessoas I Co. 1: 10 – 13; Atos 14: 8 – 15.
2ª. Idolatria por dinheiro Cl. 3: 5.
3ª. Idolatria por ídolos (deuses) Lv. 26: 1.

 c - O PERIGO DO PECADO ESCONDIDO.

Muitas pessoas pensam que o pecado oculto não prejudica ninguém. Pense sobre algumas consequências do pecado oculto:
• O pecado escondido tormenta a consciência. A criança com a consciência pesada treme quando os pais a chamam.
• O pecado oculto pode trazer consequências terríveis. Por causa do pecado de Acã, 36 famílias enterraram seus filhos, pais e maridos. O povo foi envergonhado, perdendo uma batalha para um inimigo fraco.
• A iniquidade escondida destrói o espírito. Quando deixamos os desejos da carne dominar as nossas vidas, estamos destruindo a própria espiritualidade.
A bíblia diz que Raquel furtou os ídolos de seu pai. Gen.31.19
A idolatria como herança familiar torna uma casa perturbada.

Jacó só habitou em Betel (Casa de Deus), após remover do meio de sua família todos os deuses e seus amuletos que eram usados como brincos e pulseiras. Gen.35
Mica e seu Sacerdote Particular. Jz.17

d - O FASCÍNIO DA IDOLATRIA.

Por que a idolatria era tão fascinante aos israelitas? Há vários fatores implícitos.

1) As nações pagãs que circundavam Israel criam que a adoração a vários deuses era superior à adoração a um único Deus. 2) Os deuses pagãos das nações vizinhas de Israel não requeriam o tipo de obediência que o Deus de Israel requeria.

e - A REAL NATUREZA DA IDOLATRIA.

Não se pode compreender a atração que exercia a idolatria sobre o povo, a menos que compreendamos sua verdadeira natureza.
1) A Bíblia deixa claro que o ídolo em si, nada é (Jr 2.11; 16.20). O ídolo é meramente um pedaço de madeira ou de pedra, esculpido por mãos humanas, que nenhum poder tem em si mesmo.

2) Por trás de toda idolatria, há demônios, que são seres sobrenaturais controlados pelo diabo.

3) A correlação entre a idolatria e os demônios vê-se mais claramente quando percebemos a estreita vinculação entre as práticas religiosas pagãs e o espiritismo, a magia negra, a leitura da sorte, a feitiçaria, a bruxaria, a necromancia e coisas semelhantes. Segundo as Escrituras, todas essas práticas ocultistas envolvem submissão e culto aos demônios.

Conclusão: Não existe relação entre Deus e as imagens. A adoração a imagem é um pecado contra Deus, contra a Sua Palavra. Portanto aqueles que adoram imagens não têm comunhão com o verdadeiro Deus.



LÍDERES QUE VIOLENTAM O POVO. Parte 2



INTRODUÇÃO:

Estes sermões são todos motivados pelo conceito errado e realmente perverso de que aqueles que servem ao Senhor nas funções de pastor, presbítero, missionário, evangelista, apóstolo ou profeta etc, são realmente “servos especiais” que pertencem a uma categoria que é distinta de todos os outros crentes.
Existe realmente uma unção que é maior, melhor, mais poderosa do que a unção com que o próprio Deus ungiu a todos os crentes no Senhor Jesus Cristo?

I. Os Abusadores

Abuso espiritual, pode parecer estranho, é um estado de coisas amplamente denunciado nas páginas das nossas Bíblias. No passado, durante os dias do Antigo Testamento, Deus levantou inúmeros profetas para denunciarem este tipo de perversidade. No Novo Testamento, o próprio Senhor Jesus tomou uma boa porção do Seu ministério para denunciar e confrontar aqueles que abusam espiritualmente de outras pessoas.

II. O Profeta Ezequiel

A passagem de Ezequiel 34:1/6 é certamente a que melhor descreve, no Antigo Testamento, o assunto que é objeto deste artigo, a saber: Abuso Espiritual.

1-E VEIO a mim a palavra do Senhor, dizendo:
2-Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor JEOVÁ: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas?
3-Comeis a gordura, e vos vestis da lã; degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas.
4-A fraca não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza.
5-Assim se espalharam, por não haver pastor, e ficaram para pasto de todas as feras do campo, porquanto se espalharam.
6-As minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes, e por todo o alto outeiro; sim, as minhas ovelhas andam espalhadas por toda a face da terra, sem haver quem as procure, nem quem {as} busque.

Nesta passagem nós encontramos a palavra do Senhor vindo até o profeta Ezequiel lhe ordenando que profetize contra os pastores de Israel. Por esta expressão, como fica evidente pelo contexto, devemos entender que o profeta não está se referido literalmente a pastores de ovelhas, e sim a todos os líderes da nação de Israel. Ele dirige suas palavras aos magistrados e aos príncipes, aos levitas e aos sacerdotes i.e. a todos aqueles que tinham a responsabilidade de cuidar do povo de Deus. De zelar sobre o povo de Deus, de protegê-lo e de não explorá-lo.

Através do profeta Ezequiel é o próprio Deus quem tem algo a dizer a estes líderes. E Deus fala de uma posição privilegiada já que Ele mesmo é reconhecido como o pastor por excelência sobre seu rebanho.

Pastores, como líderes, gostam de pensar de si mesmo como pessoas diferenciadas, acima das outras pessoas. Gostam de se ver como sendo “especiais”, como super-crentes. Apesar de gostarem de se ver desta maneira, Deus não está nem por um segundo interessado em participar no jogo deles.

Pastores, como diz o apóstolo Pedro, não passam de cooperadores submetidos ao Senhor Jesus que é chamado de Supremo pastor – I Pe.5.4. Ezequiel, falando em nome do Deus-Pastor de Israel, confronta os pastores dos seus dias de várias maneiras.
1. Em primeiro lugar existe a pergunta mais básica que precisa ser respondida e que é: por que existem pastores? A resposta nos vem através de uma pergunta feita pelo profeta: Não apascentarão os pastores as ovelhas? Pastores existem, primariamente, para apascentar as ovelhas. Para cuidar das ovelhas. E devem executar estas funções sem condenar e sem brutalizar as ovelhas.

Usando uma linguagem bastante direta, o profeta acusa os pastores de estarem cuidando de si mesmos em vez de estarem cuidando das ovelhas. : Ai dos pastores que se apascentam a si mesmos. Ez. 34:2

O interesse daqueles pastores estava muito mais nos benefícios materiais que poderiam receber das ovelhas – carne, gordura, lã - do que nos benefícios espirituais que poderiam e deveriam repartir no cuidado do rebanho. Para Ezequiel, o interesse daqueles pastores não estava centrado no chamado de Deus e no pastoreio e sim no poder e no controle que exerciam sobre as ovelhas.

2. Em segundo lugar existe a triste constatação de que os pastores estavam negligenciando por completo suas responsabilidades, mesmo as mais básicas. O profeta diz: A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não ligastes, a desgarrada não tornastes a trazer e a perdida não buscastes. Ez. 34:4
O despreparo dos pastores é notório e a preguiça de muitos deles também. O pastorado só é interessante quando se pode conseguir algo em troca, o resto é realmente irrelevante. Pensam e agem assim porque sabem que o povo os tem em alta estima e ninguém vai realmente querer peitar o “ungido do Senhor”.

3. O resultado direto deste descaso e ignorância não demora a ser sentido. Ovelhas sem cuidados pastorais e maltratadas tendem a se espalhar, por não haver pastor, e acabam por tornar-se pasto para todas as feras do campo. Ovelhas abusadas só conseguem resistir até certo ponto. Algumas chegam mesmo a morrer dentro do próprio redil na comunidade local que chamamos de igreja.
Não podemos ignorar que estes pastores, não desistem de seus atos de abuso, mesmo quando as ovelhas saem dos seus redis. Quando encontram resistência por parte da ovelha que saiu, a atitude dos abusadores são Falsas acusações de insubordinação, de insubmissão e falta de obediência a Deus.

Visando intimidar a “ovelha desgarrada”, estes partem para os mais baixos tipos de manipulação que incluem: dizer que a “ovelha desgarrada” nunca foi verdadeiramente crente, ou pior, dizer que a “ovelha desgarrada” vai direto para o inferno.
A verdade que muitas vezes resistimos em reconhecer, que estes não possuem chamado, não se submetem ao Senhorio de Jesus e não se dispõe ser aquilo que devem ser servos, a serviço do povo de Deus. Muitos hoje estão no ministério apenas por interesses financeiros e comerciais. Como “ser pastor” se tornou em apenas mais uma profissão, este fará de tudo que estiver ao seu alcance para não perder sua “boquinha”.

III. O Senhor Jesus e os Falsos Pastores

Nos dias em que andou por este mundo, o Senhor Jesus foi um ferrenho adversário dos falsos pastores. Jesus se opôs abertamente contra todos aqueles que, chamando-se pastores, se ocupam realmente somente consigo mesmos e abandonam o rebanho completamente. A situação do povo de Israel nos dias de Jesus não era nem um pouco diferente daquela que encontramos nos dias do profeta Ezequiel. O evangelista Mateus nos diz que: Vendo ele – Jesus - as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor – Mt.9:36.

IV. “Não Toqueis nos Meus Ungidos”

Uma das maneiras favoritas de se descreverem com seres superiores é, atribuir a si mesmos o pomposo título de “ungido do Senhor”.
Mas vamos considerar, por breves instantes, o mito de que a expressão não toqueis nos meus ungidos diz somente respeito aos pastores.

1. A expressão “ungido do Senhor” é bíblica e ocorre exatas oito vezes no texto hebraico do Antigo Testamento. Seis destas oito menções fazem referência ao rei Saul. Uma faz referência ao Rei Davi e uma diz respeito ao Ungido do Senhor (Jesus) como aguardado pelo profeta Jeremias. As menções aos reis Saul e Davi, deixam bem claro que os ungidos do Senhor não eram homens imunes nem a erros, nem a críticas e muito menos à disciplina por parte do Senhor.

2. A expressão “teu ungido” é também bíblica e ocorre seis vezes no texto hebraico do Antigo Testamento. Destas seis, uma diz respeito ao rei Davi e todas as outras ao Ungido como esperado pelo povo de Israel.

3. A expressão “meu ungido”, da mesma forma que as duas anteriores, é bíblica e ocorre duas vezes no texto hebraico do antigo testamento. As duas referências dizem respeito ao Messias ou Ungido como esperado pelo povo de Israel.

4. Por sua vez, a expressão “seu ungido”, ocorre onze vezes no texto hebraico do Antigo Testamento e uma única vez no texto grego do Novo Testamento. Estas onze referências estão assim distribuídas:
• Por 5 vezes fazem referência ao Ungido como o esperado Messias de Israel.
• Por 3 vezes fazem menção a Saul.
• Uma vez diz respeito à Eliabe, irmão de Davi.
• Por 2 vezes a citação é referente ao rei Davi.
• Uma única vez ao imperador dos Medos, Ciro.
Desta maneira fica fácil notar que quando não se refere ao Ungido que representa o Senhor Jesus, os textos falam de homens que foram tão pecadores como qualquer um de nós.

5. Por fim restam as duas referências que trazem de forma explícita a expressão não toqueis nos meus ungidos. Estas referências são:
I Cr.16:22 dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas. Sl.105:15 dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.

Antes de analisarmos estes versículos é necessário dizer que os mesmos são idênticos. A interpretação de um servirá como interpretação para o outro também. A questão mais importante para nós, neste momento, é definir acerca de quem o salmista está falando? Quem são os ungidos do Senhor? O contexto deixa isto bem claro, e por ele nós podemos ter certeza absoluta quem são as pessoas a quem o Senhor se refere como sendo os “ungidos do Senhor” e de “meus profetas”. Sl.105:8/15 diz o seguinte:
8 Lembra-se perpetuamente da sua aliança, da palavra que empenhou para mil gerações;
9 a aliança que fez com Abraão e do juramento que fez a Isaque;
10 o qual confirmou a Jacó por decreto e a Israel por aliança perpétua,
11 dizendo: Dar-te-ei a terra de Canaã como quinhão da vossa herança.
12 Então, eram eles em pequeno número, pouquíssimos e forasteiros nela;
13 andavam de nação em nação, de um reino para outro reino.
14 A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis,
15 dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.

O texto é absolutamente cristalino. Aqueles que são chamados de “ungidos do Senhor” e de “meus profetas” são os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. São os Israelitas. Todos e cada um deles. Ninguém que pertença verdadeiramente ao povo de Israel é deixado de fora.
Portanto, como dissemos, o mito de que os pastores constituem-se em os “ungidos do Senhor”, como uma casta distinta e superior a todos os crentes, não passa realmente de uma invencionice perversa cujo único propósito é munir homens perversos com mecanismos que os possibilitem abusar de suas ovelhas. Precisamos retornar, de maneira urgente, ao padrão bíblico do pastor-servo à imitação do próprio Senhor Jesus.

V. O Ensino do Novo Testamento Acerca de Termos Sido Ungidos por Deus

O Novo Testamento ensina exatamente a mesma coisa que é ensinada no Antigo Testamento. Todos os que pertencem ao Povo de Deus foram ungidos pelo próprio Deus.
A expressão ungido também é usada para se referir a todos os crentes e indica que os mesmos são consagrados ou separados para o serviço de Deus pelo Espírito Santo. É por causa desta separação ou consagração, que somos chamados e considerados santos por Deus.
Mediante a isso concluimos que só existe uma unção, que todos os crentes receberam esta mesma unção e que Deus mesmo é aquele que nos unge.
Unção especial só existe uma: é aquela com Deus mesmo ungiu a todos os crentes, sem exceção!
Qualquer outra invencionice não passa de pretensão e orgulho humano querendo aparecer.

VI. Métodos e Normas que são Geralmente Utilizados por Pastores Abusadores.

Pastores que abusam dos seus rebanhos seguem, normalmente, uma série comum de métodos e normas, visando estabelecer seu poder, domínio e controle absoluto sobre o povo de Deus. Entres estes métodos e normas podemos destacar as seguintes como sendo as mais comuns:
1. Seus interesses pessoais estão, sempre, acima de quaisquer outros interesses.
2. Uma das características mais marcantes deste vale-tudo mencionado no item acima, é a tendência constante de usar e abusar de passagens bíblicas, dentre as quais a favorita é: Não toqueis nos meus ungidos.
3. Pastores que possuem uma visão distorcida de si mesmos, literalmente adoram ser exaltados e tratados com toda a honra, que, em suas mentes doentias, imaginam que o “ungido do Senhor” merece.
4. Não existe nenhuma diferença posicional entre os crentes. O que existe são funções diferentes. E a função daqueles encarregados de cuidar do rebanho de Deus é descrita como a de alguém que cuida de ovelhas (pastor); como de alguém que possui maturidade espiritual para ensinar, admoestar e exortar (presbítero) e como alguém que possui a função de supervisionar o rebanho de Deus (bispo). Como pode ser facilmente percebido as três palavras, pastor, presbítero e bispo, são meras descritoras das funções que precisam ser executadas e não fazem nenhuma referência a algum tipo de hierarquia que deva existir na Igreja dos Ungidos do Senhor! Os termos que o Novo Testamento usa de pastor, presbítero e bispo não descrevem ofícios e sim as funções que precisam ser desempenhadas por aqueles chamados para cuidar do povo de Deus.
5. Gostam de reprovar de forma pública e privada a todos que consideram desobedientes e insubmissos.
6. Associado à reprovação pública está o desprezo público ou o isolamento de certos membros. Principalmente aqueles que não contribuem.
7. Adoram subir nos púlpitos e disparar contra aqueles que consideram seus desafetos.
8. Ameaçam com de toda sorte de maldição, (se é que possivél a um pastor amaldiçoar) estes usam de arsenal de ameaças que vão desde o simples afastamento de algum cargo naquele ministério.
9. Outra característica bastante marcante entre este é a adoção de dois pesos e duas medidas como norma para o dia-a-dia.
10. Pastores abusivos gostam de ensinar suas ovelhas, ideias que possam causar falsos sentimentos de culpa.
11. Uma das formas mais medonhas de abuso espiritual é sustentar e manter a boa vida da classe sacerdotal ou dominante. Milhares e milhares de “formiguinhas” trabalham como escravos e contribuem para que um pequeno grupo tenha tudo do bom e do melhor.
12. Só recebem “amor” aqueles que se enquadram perfeitamente dentro da vontade do abusador.


Conclusão.
Creio que chegou a hora de praticarmos uma verdadeira defenestração, espiritual é claro, arrancando as máscaras dos pretensos “ungidos do Senhor”; virando as costas e dando adeus aos “faraós modernos” e abandonando por completo aqueles que se especializaram em, abusar de todos nós.
Precisamos, urgentemente, pedir que Deus suscite uma nova geração de pastores que possuam genuínos corações de servos. Corações que estejam realmente no servir o povo de Deus e não em serem servidos. E, por favor, vamos aprender de uma vez por todas, que igrejas e ministérios multimilionários, não servem realmente aos propósitos de Deus de levar o evangelho a todas as pessoas deste mundo.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

LÍDERES QUE VIOLENTAM O POVO - Parte 1




O Problema dos Pastores Profissionais - I Pedro 5:1/4.


INTRODUÇÃO

Os discípulos do Senhor Jesus, felizmente, eram como todos nós. Isto quer dizer que eram pecadores e falhos como todos nós somos. Nos dias do Antigo Testamento o Salmista se refere ao Deus de Jacó como uma maneira de nos consolar em meio às nossas fraquezas quando diz: Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, cuja esperança está no SENHOR, seu Deus - Salmo 146:5 .
A expressão “Deus de Jacó” é uma referência clara ao fato de que Deus está acostumado a lidar com pessoas pecadoras e contraditórias como Jacó e como qualquer um de nós.

O registro dos Evangelhos está cheio de circunstância onde o Senhor precisou agir com firmeza para corrigir estas situações anômalas na vida dos Seus discípulos e apóstolos. Uma destas circunstâncias é aquela que trata do pedido de Tiago e João e da mãe deles, que havia decidido agir como se fosse uma verdadeira empresária dos próprios filhos. O pedido em questão, feito ao Senhor Jesus, era o seguinte: Então, se chegou a ele a mulher de Zebedeu, com seus filhos, e, adorando-o, pediu-lhe um favor. Perguntou-lhe ele: Que queres? Ela respondeu: Manda que, no teu reino, estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita, e o outro à tua esquerda – Mateus 20:20/21.

O pedido de Tiago e João visava satisfazer a uma das necessidades mais básicas que existem em todos os seres humanos que é ter autoridade sobre outros que são seus iguais!

O Senhor Jesus tratou com bastante firmeza aquela situação, procurando mostrar aos discípulos que as regras que deveriam existir entre eles eram diversas das regras que existiam entre as pessoas que não são discípulos de Jesus. Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos – Mateus 20:24/28.
O princípio que o Senhor Jesus quis ensinar era bastante necessário e urgente naquele momento. A saúde da futura Igreja Cristã iria depender, em parte, da obediência às palavras de Jesus acima mencionadas. Um dos aspectos do verdadeiro Cristianismo que mais encanta este autor é o fato de que nosso Deus e Senhor é sempre nosso exemplo naquilo que demanda de nós. Quando o Senhor Jesus confrontou Seus discípulos, mostrando-lhes como a conduta deles precisava ser diferente do exemplo que viam na humanidade em geral, emendou dizendo que esta havia sido a atitude ou exemplo que estavam recebendo d’Ele. Em outras palavras, Jesus disse aos discípulos que eles pertenciam a uma comunidade de pessoas que eram rigorosamente iguais e que não deveria existir nenhum tipo de interesse dominador por parte de uns sobre os outros como estava implícito no pedido de Tiago e João. O serviço cristão praticado de uns para com os outros produz apenas o bem ao passo que o desejo de dominar sobre outros conduz irremediavelmente a partidarismos, contendas, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas bem como o abusos de toda sorte – ver Gálatas 5:19/21.

Temos observado, com grande tristeza, inúmeros abusos que estão ocorrendo no seio da Igreja em geral bem como no seio do Cristianismo em particular. Estes abusos têm causado inúmeros males ao corpo de Cristo, além de destruir por completo inúmeras vidas. Muitos destes que foram abusados perderam a fé e alguns até se tornaram inimigos da fé cristã como conseqüência direta dos abusos que sofreram. É intenção de estudo é discutir tão delicado assunto visando contribuir para que de alguma maneira possamos seguir no caminho do serviço em vez do caminho do autoritarismo e do abuso espiritual. Nesta questão envolvendo abuso espiritual não existem inocentes. Lideranças e liderados são igualmente responsáveis pelo descalabro que podemos observar e igualmente culpados pelos males praticados.

Liderança é Serviço e não Senhorio.

1. A Tênue Linha que Separa o Serviço do Senhorio.

2. A Questão Representada pela Existência dos “Servos” Profissionais.

Nos últimos anos temos podido notar um número cada vez maior de “servos” profissionais que têm usado o povo de Deus para construir seus pequenos impérios que incluem, entre outras coisas, residências em diversas cidade e países, automóveis, móveis e roupas de luxo, canais de televisão e estações de rádio etc. Estes verdadeiros “senhores”quando confrontados com a dura realidade representada pela Palavra de Deus, muito dificilmente se arrependem, preferindo lançar mão de um poderoso arsenal, que na realidade não passa de um grande besteirol, para justificar seus desmandos.

3. Tanto faz mentor ou tutor, o exemplo vem sempre de cima.

O exemplo vem sempre de cima, ou seja, o exemplo estabelecido pela liderança será sempre imitado e servirá de inspiração e motivação para quem está mais em baixo.

4. Nobreza ou rebelião?

Atos 17:11. Nos dias de hoje qualquer um que tente imitar o bom exemplo que nos foi deixado pelos bereanos será rigorosamente tachado de “rebelde”. Este tipo de abuso ocorre em duas frentes. A primeira é quando o líder usa as Escrituras de forma abusiva para ensinar ou justificar práticas que não se sustentam diante de uma análise mais apropriada. Neste caso não importa o que a Bíblia ensina e sim a interpretação particular que foi fornecida pelo líder A segunda ocorre quando o líder ignora por completo a Bíblia e parte para ensinar algo que nem de longe poderia ser justificado pelo ensino das Escrituras.



Redefinindo Liderança e seus Termos.

Uma das características mais marcantes dos líderes que praticam o abuso espiritual é a insistência em redefinir certos termos. Palavras acerca das quais estávamos absolutamente certos de conhecermos o significado, de forma precisa, são manipuladas a um nível que as tornam irreconhecíveis. A manipulação é tão extensa e profissional que chegamos a duvidar se alguma vez entendemos, realmente, o significado de certas palavras.

1. Autoridade.

Não existe no seio da cristandade nenhuma outra palavra que seja mais abusada pelos abusadores espirituais do que a palavra autoridade. Por este motivo, todo exercício de poder de maneira imprópria, não é exercício de autoridade e sim de abuso espiritual.
a) Promover um sentimento de culpa generalizado quando não existir conformação automática aos desejos manifestos da liderança.
b) Rotular as pessoas que resistem serem manipuladas de: insubmissos, orgulhosos, corações endurecidos etc.
c) Agir como se fosse o próprio Deus na vida das pessoas.
d) Manipular e torcer a palavra de Deus para conformá-la aos desejos da liderança.
e) Confrontar de maneira permanente o pecado na vida de todas as pessoas.
f) Ensinar que as pessoas devem ser julgadas pelas opiniões que possuem acerca da liderança.
g) Ensinar que não existe verdadeiro discipulado fora do redil em que a pessoa se encontra.
h) Ensinar que ser um verdadeiro seguidor de Jesus significa colocar a vontade de outro, normalmente a vontade do próprio líder, acima da própria vontade.
i) Transmitir a sensação de que a pessoa está realmente afundando na fé quando ela começa a considerar abandonar o redil em que se encontra.
j) Fazer com que pessoas rejeitem promoções no serviço, mudança de cidades ou novas oportunidades apenas para se manterem onde estão em completa submissão à liderança.
k) Torcer de maneira perversa o uso de palavras como obediência e submissão.

2. Independente.

Ser independente significa que temos a liberdade de vivermos não como queremos e sim como devemos. Mas este modo de vida é muito imprevisível para os dominadores. Eles preferem estabelecer regras fixas e rígidas para seus seguidores. Nenhuma independência ou liberdade como ensinada na Bíblia serão toleradas. Na Bíblia, independência e pecaminosidade não mantêm nenhuma relação direta.


3. Obediência e submissão.

Obediência cega e submissão inquestionável à liderança são as maiores características dos discípulos na opinião da liderança religiosa abusadora. Amor, fé e esperança são secundários, apesar da Bíblia nos ensinar exatamente o contrário!


Autocracia na Igreja.

A expressão “autocracia” é definida pelo dicionário Aurélio Século XXI como: “Governo de um príncipe, com poderes ilimitados e absolutos”. É realmente uma pena que no meio cristão existam tantos líderes “governando” a igreja desta maneira.
Bem, como toda regra tem sua exceção, os irmãos e irmãs são importantes somente em um único momento: na hora de contribuir
Pagar as contas. Todas as contas, inclusive os salários daqueles que são abusadores.
Calar a boca. Ou ficar de boca fechada mesmo diante dos maiores descalabros imagináveis.
Mas, como é que tanta barbaridade tem sido cometida no seio de igrejas cristãs? Como é possível que estas formas abusivas de pensamentos e ações permaneçam e sejam justificadas? A resposta a estas perguntas não é realmente muito complexa. O poder é criado e mantido através de um artifício muito simples. Este artifício constitui em sacralizar - atribuir caráter de sagrado - a certas formas de pensamento e de comportamento que privilegiam a classe dominante como se ela fosse melhor ou mais próxima de Deus do que o resto dos cristãos. Levantar-se contra a casta dominante torna-se sinônimo de levantar-se contra o próprio Deus.
Continua...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

TOME UMA DECISÃO. Daniel.1.8




Verdade pratica: Baseado no livro do profeta Daniel,Deus prefere ver um crente vivendo como pagão no mundo do que vê-lo dentro da igreja envergonhando seu nome.

A submissão à vontade de Deus é a Tônica do N.T. Quando você decidi agradar a Deus, Ele trabalha em seu favor.

Tomar uma decisão é literalmente sair de cima do muro.

1ªJo.2.15-17. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

I - Por que as pessoas fracassam. (Decisões erradas)

a) Por que tomam decisões baseadas na maioria “MODA”.
b) Decisões baseadas exclusivamente nos sentimentos e emoções.
c) Por que não sabem o que querem. “Indecisos”
d) Por que querem que Deus decida, onde é vc que decide.
e) Crentes que querem que o Pr. decida. (Pr. é um orientador, um conselheiro e jamais um árbitro, que decide o que deve ser feito ou não).
f) Por que não querem responsabilidades e nem correr risco.


II – Por que pessoas acertam em suas decisões. (Decisões acertadas)

a) Pessoas tomam decisões baseadas na razão e não na emoção.
b) Quando penso faço inferência, comparação e tomo uma decisão acertada.
c) E DANIEL ASSENTOU NO SEU CORAÇÃO.
d) Tenha firmeza (determinação) NÃO BASTA QUERER FAZER, É PRECISO REALIZAR.
e) Vontade sem ação não vale de nada.
f) Transforme sua decisão em ação. MUITAS DECISÕES PARECEM PRECIPITADAS E IMATURAS, PORÉM SÓ ATRAVÉS DAS NOSSAS DECISÕES QUE APREENDEREMOS LIÇÕES.

Você não precisa orar para tomar uma decisão. Decisão é livre arbítrio sou eu que escolho.

Nosso Deus é tão sábio e poderoso que até permiti que homens e mulheres façam suas próprias escolhas e, ainda assim, cumprir seus propósitos no mundo. Mesmo quando não damos a Deus permissão para ter o governo da situação, ainda assim Ele prevalece,e, no fim, sempre é feita sua vontade, e seu nome glorificado.

Existem decisões que eu já tenho o conhecimento prévio da resposta de Deus. Ex: não posso Pedir a Deus que abençoe uma situação fora dos moldes bíblicos.

Jer. 29.11-14. A base dos planos e propósitos de Deus para nossas vidas são os melhores.

Na dúvida, ore ao Senhor: Ex: Neemias sabia o que fazer, porém não sabia como começar.




III – Toda decisão tem um caráter pessoal. (Decido por aquilo que me interessa).



Deut.30.19: Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente.

Noé: tomou a decisão de obedecer a Deus e construiu a arca, por causa disto tornou se pregoeiro da justiça.

Abraão: Por sua decisão em obedecer tornou-se o pai da fé.

Davi: tomou a decisão de não tocar em Saul e se tornou o maior líder de sua nação.

Moíses: tomou a decisão de não ser o filho da filha de faraó, e se tornou o maior profeta da bíblia.

CONCLUSÃO

Toda decisão se tem um preço. Por menor que seja.
Toda decisão produz um galardão de conquista.

Você precisa tomar a decisão de viver uma vida santa pra Deus.
Você precisa tomar a decisão de entregar sua vida a Deus.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

DECADÊNCIA! EM VEZ DE PASTOR, UM RABINO.





Por Renato Vargens



Uma das mais novas crenças dos denominados evangélicos é o CRISTIANISMO JUDAIZANTE.


Na verdade, este movimento religioso e herético é a nova febre da atualidade. Isto porque, alguns dos evangélicos têm introduzido praticas vetero-testamentárias nos cultos e liturgias de suas igrejas.

Na verdade, tais pessoas têm declarado que o resgate dos valores judaicos é uma revelação de Deus a igreja contemporânea, cujo slogan é “Sair de Roma e voltar para Jerusalém”

Estes modernos fariseus têm disseminado praticas como:

- Tocar de costas para a congregação, por considerar os ministros de musica “levitas de Deus”.

- Usar o Shofar, para liberar unção ou invocar a presença divina.

- Guardar o sábado fezendo dele o dia do Senhor.

- Observar TODAS as festas Judaicas.

- Usar o Kipá e o Talit, que são as vestimentas que os judeus praticantes usam para ir a sinagoga.

- Usar excessivamente símbolos judaicos tais como, a bandeira de Israel, o Menorah ou a Estrela de Davi dentre tantos outros mais.

- Construir protótipos da Arca da Aliança a fim de simbolizar entre os cristãos a presença de Deus.

- Mudar os nomes e as nomenclaturas bíblicas judaizando tudo, a ponto de chamar Paulo de Rabino.

Caro leitor, não existem pressupostos bíblicos para que a igreja de Cristo, queira “recosturar” o véu do templo.

Entretanto, alguns dos crentes atuais teimam em transformar em realidade aquilo que deveria ser uma simples sombra.

Foi o Apostolo Paulo quem afirmou: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados. Estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém, encontra-se em Cristo”, Colossences 2.16-17.
As leis cerimoniais judaicas, os ritos sacrificiais, as festas anuais, foram abolidas definitivamente por Cristo na cruz do calvário(o significado de cada uma delas se cumpriu em nosso Senhor).

Por esse motivo, mesmo os judeus que se convertem hoje ao cristianismo estão dispensados das leis cerimoniais judaicas. É por esta razão que crentes em Jesus, não fazem sacrifícios de animais, não guardam o sábado, não celebram as festas judaicas, não se prostram diante a Arca da Aliança e nem tampouco fazem uso do shofar.
Nossa mensagem, vida e testemunho deve ser Cristo, o Evangelho pregado deve ser o evangelho de Cristo, nossa mensagem central deve ser para a gloria e o engrandecimento do nome de Cristo.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

PASTORES MALVADOS


Pastores(a) não podem amaldiçoar.

Pastores(a) não possuem prerrogativas exclusivas da divindade. Quem são estes? Que se alto intitulam representantes de Cristo na terra. Não Tem o poder de ligar e desligar dos céus. Tal pratica dentro de algumas “igrejas” se é que se pode chamar de “igrejas” é no mínimo coação, para não chamarmos de abuso de autoridade.

Chamar de REBELDE um membro pelo fato de como pessoa livre, (que possui direitos inviolável, como o de ir e vir), porque visitou uma outra denominação é constrangedor.
Pastor que proíbe, amaldiçoa, coage, sabe que seu ministério vai a bancarrota espiritual.

Estes sofrem de distúrbios, e alguns são até sociopatas. Falam o que querem não se importam com a verdade, apenas com o seu narcisismo exacerbado, só eles são os heróis, e os seus opositores são sempre maus e culpados por tudo. Valem-se de mentiras ou de meias verdades, manipulam quem querem usando a Palavra de Deus. Buscam unicamente poder e lucros pessoais, Manifestam de maneira superficial suas emoções, além de uma falsa demonstração de cuidado que não passam de um mero teatro.

O membro tem o DEVER de participar das atividades de sua denominação, mas a coação pelo fato de ir visitar uma outra denominação é no mínimo vergonhos(a).

O que dizer dos assuntos pertinentes a congregação, que deferiam ser tratados no gabinete pastoral, e são tratados no púlpito pelo então pastor(a).

Sem levar em conta os malfeitores (ladrões) que surrupiam todo o povo. Homens inescrupulosos cujo deus é o ventre. Estes(a) que transformaram a igreja em covis de mal feitores.

Entende-se por pastor(a) aquele(a) que ama suas ovelhas, que a visita, que não faz acepção por conta da importância da sua contribuição. Um pastor(a) de verdade cuida das suas ovelhas independentemente se estas estão ou não dizimando. O pastor(a) sabe o preço de seu chamado e é apaixonado por isto; não terceiriza o seu ministério; dedica-se a pregação da Palavra e busca com empenho aprende-lá. Ser pastor é imantar os que estão a sua volta fazendo com que estes almejem tal ministério. Ser pastor(a) é tentar conduzir as ovelhas perdidas ao aprisco do supremo Pastor, mesmo com o risco da própria vida, sabendo que algumas até se perderão pelo caminho. O que não pode é o pastor(a) deixar de buscar aquele a quem Jesus insiste em salvar.

Deus Muda o Rumo da História At. 27.1-37


V.1-9 Um escravo que se torna capitão de um navio.

a) A fé é um instrumento de navegação (GPS), quando se foca em vários objetivos se perde a direção.

b) Só quem tem os olhos em Deus consegue contemplar uma luz no fim do túnel.

c) É Deus quem escreve as páginas de nossas vidas.

V.10 Deus não nos prometeu uma viagem isenta de turbulência, mas sim a certeza de um porto seguro.

V.11-12. A quem você ouve? Nem sempre seguir a maioria é seguir a decisão exata.
Paulo avisa que há muitas vozes clamando por ser ouvidas. "Há, por exemplo, tantas espécies de vozes no mundo, e nenhuma delas sem significação" 1ª Co.14.10
Há uma trágica incompreensão na igreja acerca de ouvir a voz de Deus. A frase mais comum ouvida hoje nos círculos religiosos é: "Deus me disse!"

a) Deus falou com Moises, Davi, Samuel e ainda fala hoje. Há muitos hoje em dia que não acreditam que Deus ainda fala com os homens. Dizem que ele fala só por intermédio de sua Palavra, que tudo quanto Deus deseja ou necessita dizer está encerrado no cânon das escrituras.

b) Por certo, Deus nunca proferirá uma palavra contrária à escritura. Ele disse que suas ovelhas conhecem a sua voz, e não atenderão à voz de estranhos. Sabemos que Deus falou com os homens em tempos passados no Velho Testamento. Porém, que dizer do Novo Testamento? Saulo a beira do caminho, com Pedro na prisão, com João em Patmos.

V. 13 Fora da orientação divina há um aparente sucesso.

a) Sucesso não cai do céu! Não acontece num passe de mágica.

b) Mude de atitude e programe-se para chegar. (o tempo é subjetivo! O que importa é alcançar).

V.20 Longe de Deus só há trevas. Pv.14.12

V.21 De escravo a capitão. Na adversidade que se conhece um líder. Liderança é a arte de ajudar as pessoas a crescer, capacitando-as a adotar uma visão e a buscá-la com energia e paixão.

V. 22-26 na tribulação clame ao Senhor.

V.31 Não abandone o barco.

V.34-37 A Ceia nos dá ânimo.

O bom ânimo acerca do qual Jesus falou não era “o poder do Pensamento positivo”. Nem era uma mera auto-ajuda. Ele ia muito além de tais coisas, por mais positivas que sejam.
Isto porque o que Jesus ensinou não se estribava em circunstâncias
favoráveis. Jo.14; Jo.16.33
Mensagem pregada no culto da familia.19/09/2010.

Deus valida nossa caminhada no meio dos anos. Fil.3.4-16



a) O Evangelho apaga o PASSADO. O Passado de Paulo incluía também seus valores. Fil.3.7-8 Não nos gloriamos de nosso passado, e sim de Cristo. Toda escolha pressupõe uma perda.

b) O Evangelho transforma e prepara o PRESENTE. Enquanto o pecado nos paralisa em seu sono letárgico. Na Graça nos tornamos atletas corendo a carreira que nos foi proposta. Heb.12.1-2 Deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra em nós. Corramos com perseverança na corrida, mantendo os olhos fixos em Jesus, autor e consumador da fé.

c) O Evangelho apresenta o FUTURO :no qual caminhamos “por fé e não por visão”, 2ªCo.5.7 . Exemplos dos heróis da fé. Heb.11. Pessoas que morreram pela fé, sem terem recebido tudo o que esperavam. Mas, não perderam de vista seus alvos. “Os Céus”.


A Fé é o nosso instrumento de Navegação, e o alvo nosso Objetivo.

Característica das pessoas bem sucedidas, “todas tem um alvo na mente e agem em função dele”. ATITUDE É TUDO

V.12 - PROSSIGO PARA O ALVO – Na vida é preciso ter alvos. Paulo entendia que o maior alvo de sua vida era o que ele chamou de: alcançar a estatura do varão perfeito. Fil.2.13-14
PERSEVERANÇA é uma doutrina que nos ensina que é o Espírito Santo que nos levam a conquistar nossos objetivos.

A melhor auto-ajuda que existe é colocar dentro da nossa mente os pensamentos certos da fé, da esperança, e do amor.

É de fundamental importância aprender a controlar e concentrar as atividades e capacidades em direção aos alvos. Em geral o ser humano é muito disperso em suas atividades.

V.13 – AMADUREÇA! Diante de Deus não somos perfeitos.

A igreja é um grande quebra cabeça que se completa na deficiência do outro.
Col.3.4 Quando Cristo se manifestar, ele que é a nossa vida, então vocês também se manifestarão com ele na glória. 1ªJo.3.2. Ainda não é manifesto o que havemos de ser; Sabemos que quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque nós o veremos como ele é.

Muitos são os que correm em vão! Pessoas que buscam por meio próprios a Salvação.

a) Jovem rico Mc.10.21 Conhecedor da lei, porém materialista.

b) As sete Igreja da Ásia em Apoc.2... Em apenas uma Jesus encontrou virtude.


Fil.2.12-13 desenvolvei (crescer progressivamente) a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é que opera em nós tanto o querer como o efetuar.

Ilustração: Gabriela Andersen - Olimpíadas 1984

John Kennedy, quando era presidente dos Estados Unidos, disse em certa ocasião: ”O importante na vida é ter um alvo e a consciência de cada dia caminhar em sua direção, mesmo que demore alcançá-lo”.

V.14 - Seu alvo é a chegada. O pódio é uma consequência. Então não trapaceie, não queime a largada e considere como uma vitória cada etapa.
No final o que nos espera é a nossa recompensa “Coroa”, que não é a nossa salvação.

V.15-16 – Santidade é a estrada que nos conduz a Deus. E a santificação e algo pessoal e intransferível. Apoc.22.11 O injusto, que continue com sua injustiça; o sujo, que continue com suas sujeiras; o justo, pratique ainda a justiça; o santo, continue a se santificar!
Mensagem pregada em 25/09/2010.

domingo, 3 de outubro de 2010

De fraco a Campeão. Juízes 6.11-24

A história de Israel se parece em muito com a de alguns crentes.
Ora estão na presença do Senhor; Ora estão no mundo.
Ora são membros acolá; Ora ali.

I – Você precisa criar raízes onde Deus te plantou.

Israel sofreu por sete anos. (Este teu sofrimento tem dia e hora pra terminar).

II – Não culpe a Deus pelas suas escolhas. (longe de Deus nossos adversários triunfam sobre nós).

a) Sua missão começa em casa. (os midianitas eram parentes de Israel)

b) Seus inimigos não estão longe de você. (alguns estão dentro de nós. De Gideão era o Medo)

III – O Deus que chama também é o Deus que capacita.

a) Não duvide do chamado de Deus.
b) Na dúvida Deus não opera.
c) Deus dá os instrumentos certos a pessoas certas.

100% das soluções empresariais passaram pela contratação da pessoa certa para o cargo certo.

IV – Vida vocacionada é vida no altar. Um Lugar onde todos possam te ver.

A vida de Gideão é marcada por Altares ambos com sacrifícios.

1º Altar: Tempo da ignorância - Você pode até ter cometido muitos erros no início de sua caminha, o que você não pode é permanecer no erro.

2º Altar: A bíblia é um protocolo de ética religiosa de como agradar a Deus. E como tal precisa ser respeitada.

A Palavra de Deus combate a “achologia”; Precisamos conhecer a Palavra de Deus, pois ela é fonte de libertação. (Jo 8:32) Devemos DECLARAR, CRER e VIVER a Palavra de Deus, pois só assim conseguiremos resistir ao diabo. A Palavra de Deus é alimento, conhecendo-a, cresceremos na fé, tomaremos posse das bênçãos e não mais aceitaremos argumentos vazios, firmados em achologias.
Você precisa amadurecer e se tornar melhor. Na adoração, auto-estima, disposição para o serviço na igreja.
Esta é a geração que Deus quer usar para lutar e vencer, plantar e colher.

VIVENDO COMO FILHOS DA LUZ. Ef. 4.17-32

É normal sentir raiva. A raiva é um sentimento de protesto, insegurança, timidez ou frustração, contra alguém ou alguma coisa, que as pessoas demonstram quando se sentem ameaçadas.
O sentimento de raiva tem origem na idéia de que fomos injustiçados ou maltratados, tendo como base vivências do passado.

A Raiva é um sentimento que quando manifestado traz consequências, inclusive a morte.
Não há nada mais importante no mundo do que a maneira com que você cria os seus filhos. Você sabe que as maiores alegrias — e a maiores dificuldades — vêm como
resultado da enorme responsabilidade de treinar os filhos a se tornarem adultos.

Existem problemas demais para nos chatear nos dias de hoje — nas manchetes, nos filmes, nos próprios corredores das escolas e igrejas. Somos levados a concluir
que o fato de as pessoas não saberem lidar com a própria raiva é que origina todas essas crises e conflitos.

Ninguém aprende a lidar corretamente com a raiva a menos que alguém lhe ensine. As atitudes corretas não são intrínsecas a nós. A forma madura de lidar com a raiva que sentimos deveria ser ensinada em casa. A raiva é uma emoção que poucos compreendem.
Precisamos aprender a controlá-la e depois ensinar nossos filhos.
Mas isso só será possível se primeiro adquirirmos esse autocontrole.

I - A RAIVA NA CRIANÇA E SEUS PRIMEIROS ANOS.

Como a raiva agem nas crianças, através das birras e chantagens, das manhas, rolar pelo chão, esmurrar o carpete e até dar com a cabeça na parede. A medida que crescem choram e gritam, fazem malcriações inclusive em lugares públicos. Depois vem as queixas da escola e de alguns vizinhos.

a) A questão da raiva e de como tratá-la.
A raiva é como uma doença que vai corroendo de dentro para fora, e que causa diversos prejuízos físicos, mentais e espirituais para o próprio enfermo e para as pessoas que a este acompanham.
Consequências da raiva:
• A violência verbal.
• A violência física.
• O Ódio, que consiste num desejo contínuo de fazer mal a alguém.
No corpo humano a raiva gera problemas no sistema nervoso central, distúrbios no aparelho digestivo e desequilíbrio psicológico.

b) A maioria das famílias do mundo atual não tem a menor ideia de como lidar com este sentimento.
Tal deficiência familiar e social só acaba em desastre.

• Você como pai, guarda remédios em lugares altos.

• Você quer saber o tempo todo onde o seu filho está.

• Talvez você até escolha os programas de TV que o seu filho pode assistir e quais atividades ele pode fazer no computador.

Mas será que você está ciente de que o maior de todos os perigos é a raiva alojada, incontida e descontrolada no coração do seu filho; e que esse é o veneno mais tóxico de todos.



II - A RAIVA FAZ PARTE DO NOSSO DIA-A-DIA.

À medida que crescemos carregamos a raiva para dentro desta panela de pressão chamada sociedade. A escola, o local de trabalho, o casamento,
a igreja, a família é onde ela se potencializada.
Vivemos num mundo caótico por causa de emoções que não foram devidamente
identificadas e tratadas no passado.
O problema vai além da violência, este é apenas a ponta do ICEBERG.

a) Os pais são as únicas pessoas capazes de solucionar essa questão.
Você é o maior pedagogo de seus filhos. Como a maior parte dos pais não sabe como lidar com as emoções dos filhos, estes acabam aprendendo a lidar com as próprias emoções de forma inapropriada e imatura. Essas crianças, por sua vez, quando crescerem passarão esses mesmos conhecimentos errados aos seus filhos, que
um dia farão o mesmo, perpetuando assim o padrão errado.

O Antigo Testamento nos diz que os pecados que os pais cometem frequentemente perduram por várias gerações e não é difícil entender o motivo. Você é o único
modelo de como ser pai e de como viver a vida que os nossos filhos têm.


Precisamos, com urgência, assumir a nossa função de pedagogos: “Ensina o menino no caminho em que deve andar e quando for velho não se desviará dele.” Pv.22:6. Ou seja, pais e mães são, por força do cargo, professores de seus filhos! Não é uma questão opcional. A função exige esta postura.

III - ASSUMINDO A MINHA FUNÇÃO PEDAGÓGICA.

Três atitudes simples do cotidiano:
a) Palavras: Use a conversa como instrumento pedagógico. Fale com ele sobre a vida. Aproveite os momentos, e bata um papo sem medo de saber todas as respostas!

b) Ações disciplinares: Tenha coragem de estabelecer limites, criar regras, impor situações disciplinadoras. Todas as sociedades e relações saudáveis têm seus pontos limítrofes. Não tenha receio de dizer "não", "sim", "agora não posso", "você não precisa disso agora".

c) Exemplo: Se você perder o exemplo, perderá a autoridade! Pois o exemplo é basilar para o pedagogo. Você não pode dizer "não" e ser "sim".
Dt.6.4-7 “Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te.”
Aproveite estas quatro situações: 1- assentado em casa, 2- andando pelo caminho, 3- ao deitar e 4- ao levantar, e seja o pedagogo que seu filho tanto precisa e clama.


IV - O AMOR COMO PRIORIDADE.

De onde vem toda essa raiva? Damos duro para proporcionar um lar feliz aos nossos filhos. Por que eles têm tanta raiva e o que os leva a serem adultos irritados?
A difícil verdade é que sua maior fonte de raiva provém de um arraigado sentimento de que não se sentem amados. Por instinto, as crianças percebem que precisam ser
amadas e que seus pais têm a responsabilidade de proporcionar este amor.
Mesmo nos melhores lares, filhos anseiam desesperadamente por amor, apesar de seus pais terem a convicção de que essa necessidade está sendo suprida.

a) Como manifestar o amor para com os filhos? Creio que a maioria dos pais ama verdadeiramente os seus filhos. A dificuldade consiste em transmitir esse afeto de amor do coração do pai para o coração do filho.

Talvez você diga: “Mas eu falo todos os dias que a amo meus filhos!”, e o que você diz é mesmo a verdade. O fato é que a maioria dos pais são verbais ao se comunicar.

A expressão verbal do afeto é, sem dúvida, muito importante,
Porém insuficiente.


Nós, pais, somos seres VERBAIS enquanto os nossos filhos são seres COMPORTAMENTAIS.
Se você deseja se comunicar com o seu filho de forma profunda e efetiva, não poderá utilizar a sua forma, e sim a dele, a forma comportamental.

“Não basta ser pai tem que participar”.


b) Se os seus filhos não se sentirem amados, eles não se desenvolverão para se tornar as pessoas que têm a capacidade de ser.
A raiva interfere no desenvolvimento básico da criança e futuramente em
seu comportamento adulto.

V - RELACIONANDO-SE COM O MUNDO.

O conceito que a pessoa tem a respeito de si mesma é o fator de maior influência ao como lidar com a raiva. A auto-estima é a chave para lidarmos com a raiva.
Somente a partir daí, teremos autonomia sobre nós mesmos.

E os nossos filhos? Eles também reagem com raiva perante uma situação ou uma pessoa ameaçadora que os frustre ou lhes cause dor. O problema, contudo, é que,
diferentemente dos adultos, as crianças não têm o poder de fazer mudanças radicais em suas vidas. Diferente dos adultos, a criança ainda não têm a sua auto-estima muito
bem fundamentada.

Os Pais e os outros adultos estão, em teoria, ajudando-as a formar o conceito que as crianças terão de si.
Por isso Jesus disse: “aí daquele que fizer tropeçar a um destes pequeninos”



VI - ANTECIPE-SE AO FUTURO.

Talvez você já tenha passado horas sonhando com o futuro dos seus filhos. Você os imagina tendo uma vida saudável e bem-sucedida.

No entanto, a maior e mais desafiadora ameaça à vida feliz e saudável do seu filho é a presença despercebida da raiva mal resolvida.

O nosso dever para com os nossos filhos e para com a sociedade
envolve identificar e lidar com as raízes dos problemas de hoje, enquanto os nossos filhos ainda são novos e ensináveis, antes que o estrago seja feito.

Seremos incapazes de ensinar os nossos filhos até que nós mesmos aprendamos essa lição, e sejamos transformados por elas. O significa aprender a lidar com a própria raiva.

VII - PRESENTEIE A VIDA.

Amar os seus filhos incondicionalmente e ensiná-los a lidar com a própria raiva de forma cada vez mais madura são os dois melhores presentes que você pode dar a você e a seus filhos.

Mensagem pregada no culto da família, inspirado no livro: Como realmente amar seu filho rebelde. Editora Mundo Cristão.