domingo, 7 de fevereiro de 2010

O Templo e a Oferta


O Templo é um edifício consagrado a um culto religioso e, figuradamente, significa um lugar espiritual. Os primeiros templos surgiram na Mesopotâmia, situada entre dois Rios Tigre e o Eufrates. No inicio de sua historia mística o homem, usava para suas orações o alto das montanhas ou as sombras das árvores. Os templos egípcios tiveram uma grande influência nas construções dos templos hebraicos. O que se concretizou após a libertação de seu cativeiro no Egito sendo o clímax desta influencia o Templo de Salomão.

No ano 70 d.C. o imperador Tito cumpriu a profecia de Cristo e destruiu o templo. Acabando assim, a era dos sacrifícios e ofícios sacerdotais. Além, é claro das atividades levíticas. Convertendo-se no que hoje conhecemos como Muro das Lamentações, o maior Templo ao ar livre. Diante destes fatos numa tentativa pagã de reconstrução de templos e suas atividades a então denominada igreja Cristã (Católica), na idade média séc.IV d.C; através de seus imperadores que buscavam única e exclusivamente a satisfação do desejo de Roma criaram um colegiado de pastores/bispos locais, selecionados e com total subserviência ao reino.
Estes por sua vez, buscando fama e interesses pessoais controlavam os cargos eclesiásticos e os vendiam e/ou trocavam por riquezas e total submissão ao Rei.
Tornando-se assim, a igreja, figura patrona dos direitos exclusivos da Graça e única mediadora entre Deus e os homens.

No contexto bíblico, o termo igreja pode designar uma reunião de pessoas, sem que estas estejam necessariamente associadas e/ou reunidas em uma edificação ou em uma denominação específica. Mt.18.20 Sem a figura de um templo como instituição. Por isto, Paulo quando escrevia cartas ele as escrevia a uma cidade onde todos pertenciam a uma mesma igreja. Não havia rachas ou denominações e qualquer tentativa a este respeito era tida como pecaminosa e combatida firmemente pelos apóstolos cristãos . Deus, porém estabeleceu assim, na estrutura mais essencial de cada criatura humana um edifício no qual ele mesmo habita e/ou deseja habitar. Ef.2.21,22; Jo.4.21; At.17.24 Deus não habita em nenhum templo religioso hoje! Diante de uma pequena exegese bíblica de Mt.16.18: Veremos que não é contra uma instituição que o diabo não pode prevalecer, e sim, contra cada crente, figura de um edifício edificado pelo próprio Senhor Jesus. A transcendência de Cristo está acima de qualquer religião, inclusive aquelas que colocam a igreja como mediadora entre Deus e os homens. Deus pode se revelar a qualquer um em qualquer lugar. Sendo o homem o maior veículo e o maior beneficiado pela graça de Deus, através de Cristo. No qual habita toda plenitude de Deus. Sendo a vontade divina que toda humanidade o conheça, não tateando com cegos perdidos. Mas, onde houver um coração desejoso Deus se revelara. Não existindo vida neste mundo nem no porvir que não seja fruto desta Graça.

Porém, Sabedores disto alguns pretensiosos sorrateiramente tomaram posse de alguns textos circunstanciais e históricos do velho testamento que sempre estiveram relacionados a Israel e a uma velha aliança transportaram para a igreja de hoje. Usando de ardis psicológicos sob a égide de uma maldição, com o preço até mesmo da perda da salvação, que custa os míseros 10%, Impondo a lei e seus elementos ao falar de dízimos. Subjugando o que contribuem. Pois assim, continuam estes de baixo de um julgo de maldição. Gal.3.10 Tal transposição tornou se nesta industria extraordinária para lavagem de dinheiro e enriquecimento e/ou neste cassino Gospel. A igreja como um templo físico, é criada como instituição e como uma pessoa jurídica, registrada nos órgãos estatais, compostas por seus fundadores, associados, tendo seu inicio marcado por uma ata de fundação.
No novo testamento o dinheiro é figura de um demônio que precisa ser submetido ao domínio de seu dono através do serviço cristão: Generosidade, caridade, amor através de uma contribuição voluntária. O dinheiro é para facilitação da vida do homem e não para ser seu senhor e escravizá-lo. Não há proibição no Novo Testamento em se contribuir, cada um contribua como lhe convém. Mas, não sob pretextos para enriquecer campanheiros e artistas gospel, o que torna isto um absurdo!
Não há um só texto sequer no Novo Testamento que valide o sistema que aí está. Figura exata da situação que o próprio Cristo combateu nos seus dias. Mt.21.12 Toda instituição como associações, grêmios e por aí vai, precisam de colaboração. Mas, esta estrutura presente na igreja evangélica está longe de Deus.
O Reino de Deus é uma manifestação sem Lei Rom.3.21; Toda pratica, e rudimento judaicos estão baseados na lei. E pela lei ninguém pode ser salvo. A lei e os profetas são apenas testemunhas da Graça . O diabo continua hoje escravizando a humanidade, encerrando a todos os que guardam e/ou praticam preceitos antigos sob a égide da maldição. O Comentário de Jerry Horner sob o livro de Gálatas, na bíblia de estudo Plenitude da SBB, pag. Nº1223. “Portanto, os rudimentos do mundo são na verdade, espíritos do mal que usam os rituais da lei para escravizar e condenar”. Ainda; na bíblia de estudo de Jerusalém sob a carta aos Gálatas, da editora Paulus que foi traduzida por uma equipe de exegetas católicos e protestantes e por uma equipe de revisores literários na pag. Nº2035 está também escrito: “ é provável que sejam espíritos celestes que, por meio da lei, pretendiam manter o mundo sob sua tutela”. Gal.3.13 Jesus nos libertou da maldição da lei. Ef.2.15 A lei e suas prescrições foram abolidas. Aos que tais coisas praticam. Mt.15.9; Rejeitaram o Espírito da Graça. Hb.10.29; apoderaram se da chave do conhecimento e escravizaram o povo. Lc.11.52.