sábado, 8 de setembro de 2012

O tabernáculo - o Lugar da morada de DEUS


A proposta desta mensagem é levar o ouvinte a uma viagem pelas Escrituras, e a um caminhar espiritual pela fé no tabernáculo. Êx.25:1-8 

Lembrando: 

• Israel caminhava com aquilo que era transitório e passageiro; e nós com o que é verdadeiro e eterno. 
• A velha aliança nos dá a sobra; a nova aliança nos dá a substância (aquilo que é real). 

Heb.8:5 Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais (futuras). 

V.3 Ouro: Símbolo da divindade; prata: símbolo da redenção; bronze: símbolo de sofrimento. 
V.4 As quatro cores símbolos do evangelho. Azul: Jesus, o filho de Deus. “João”; púrpura: Jesus, o Rei. “Mateus”; Escarlate: Jesus, o Salvador. “Lucas”. Linho fino (branco) Jesus, o homem perfeito “Marcos”. Peles de cabra: Jesus, o profeta maior que Moisés. 

Dt. 18:15 O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis; 

V.5 Peles de texugos: ausência de beleza; Madeira de Acácia: A carne incorruptível; 
V.7 Azeite: Adoração; As pedras do peitoral: A igreja. Diante da visão da construção do tabernáculo dada por Deus a Moisés. Deus detalhou a construção de Dentro para fora. (ilustrando a mudança do homem). 

• Para entendermos e preciso começar de fora. 

1 - A entrada do tabernáculo era chamada de o caminho; 
2 - a porta que dava acesso ao lugar Santo chamava-se de verdade; 
3 - e o acesso ao Santíssimo lugar era chamado de a vida. 

(Jo.14:6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim). 

O tabernáculo era cercado por uma enorme cerca de linho fino, com 60 postes (colunas) feitos de madeira de acácia.                                                No topo de cada estaca tínhamos um forro de prata, que representa a “redenção” (Rom.3:24 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus)                            ; e bases de bronze representando o “sofrimento” (Is.53:4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido)                                                    ; e uma corda de fio de carneiro representando nossos “pecados” (1jo.2:2 E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo)          ; amarrado nesta corda estava uma estaca de bronze, que deveria ser enterrada pela metade no chão. Representando o corpo de Cristo que foi sepultado, mas não ficou na sepultura. (Mc.16:6 Ele, porém, disse-lhes: Não vos assusteis; buscais a Jesus Nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram) 

• Na figura da estaca e de seus elementos temos Cristo. 

O poste: Jesus, o homem perfeito; A prata: Jesus, o redentor; o bronze: Jesus, o Salvador; A corda: Jesus, que se fez pecado por mim; a estaca: Jesus, que sofreu, morreu e ressuscitou. 

                       I- A primeira coisa a ser vista ao entrar no tabernáculo era um altar de sacrifício, e este só podia ser observado por dentro. Quem estava de fora não podia ver os utensílios de dentro. 
É onde começa a caminhada cristã. Onde o nosso "ISAQUE" precisa ser sacrificado, onde nosso eu precisa morrer. É diante do altar que compreendemos o poder do sangue derramado. 
Ef.1:7 Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça.

I Jo.1;7 Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. 

Rom.5:9 Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. 

• O sangue de Jesus já se ocupou dos nossos pecados (perdão), do nosso presente (nos limpa); e do nosso futuro (justificação). 

                      II - A fonte: símbolo da Palavra de Deus. Era de bronze polido, como um espelho para refletir a imagem do homem. 

• Muitos crentes não passariam da entrada do tabernáculo. Porque ainda não tem crucificado sua carne. 

Jo.13:10 Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. 

Nesta fonte, Nós somente precisamos lavar nossos pés. Pois nossa salvação não esta em obras. Lavamos nossos pés porque ainda estamos neste mundo. 

                     III - E, diante do lavatório esta a entrada do lugar santo. Estabelecida sobre cinco colunas. Que são os cinco ministérios da igreja. 

Ef.4:11-16 E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor. 

Ilustração: A mão. O dedo polegar é apostolo. Pois toca em todos; o indicador é o profeta; o dedo maior é o evangelista; o dedo anular é o pastor; e o dedo mindinho é o mestre (que se mete nas coisas pequenas). 

No lugar Santo você encontra: a) o candelabro, que nos traz luz e a revelação de Deus para nossas vidas. b) a mesa dos pães ázimos representa a nossa satisfação. (O pão ázimo deveria ser coberto de aroma de incenso). O incenso tem um aroma doce. Porém um gosto amargo. 

1Pe.4:14 Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus; quanto a eles, é ele, sim, blasfemado, mas quanto a vós, é glorificado. 

 c) o altar do incenso, que significa nossa adoração. Altar este que deveria estar aceso permanentemente. IV - E fim, o Santo dos Santos. O lugar onde Deus habita. Neste lugar não há palavras, e lugar onde encontramos com Deus e o tocamos. Sentimos sua presença. 

Conclusão: No portão, fomos reconciliados; no altar, fomos redimidos; na fonte, fomos santificados; no altar nos derramamos; e no Santo dos Santos o tocamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.